Nova Evangelização com Fé e Som!

Por uma real “conversão musical”

 

A Igreja está sempre em reforma. “Ecclesia semper reformanda est”. De modo literal há muito por se reformar em nossas paróquias: pinturas, estruturas, mas também pesso­as e maneiras de se comunicar com elas.

 

Os grupos musicais sejam eles corais ou bandas e ministérios de movimentos no­vos da Igreja, necessitam de atualização constante. Reciclar o repertório não ape­nas incluindo novas músicas, mas cantar os clássicos de um jeito novo e utilizando platafor­mas atuais.

 

Se em 2007 o Documen­to de Aparecida nos exorta­va a uma “conversão pastoral” que aban­donasse “velhas estruturas” e “métodos ultrapassados”, hoje mais do que nunca precisamos dessa “conversão musical”, eu diria. Cuidado com a qualidade e forma­ção doutrinal e musical dos cantores e instrumentistas, bem como uma verda­deira revolução no modo de contratar empresas de som.

Há igrejas que inves­tem em reformas externas, mas esque­cem da sonorização. Sim, vai ficar caro, mas não tenha dúvidas de que vai valer a pena. Outro ponto que precisamos acor­dar para uma real mudança e conversão é a pirataria dentro das livrarias católicas. Parece mentira, mas existem paróquias que vendem CD’s piratas. Recordo, pira­taria é crime e pecado!

Infelizmente, também é comum até mesmos padres e bandas gravarem músicas de composito­res sem pedir autorização nenhuma. Sem se preocupar com documentos. Estão acima da lei? Não! Carecemos de unidade no mercado de música católica. Atualmente são lan­çados por ano, entre bandas indepen­dentes e lançamentos de gravadoras mais de 500 CD’s. Nós não nos conhecemos. E o rolo compressor das mídias seculares e grandes gravadoras já está ditando aos rumos da nossa música.

Os distribuido­res e lojistas há alguns anos investiam em novos artistas e CD’s. Hoje, com a baixa que tiveram nas vendas de modo geral, investem apenas nos ‘padres-cantores’ ou alguns músicos com grande sucesso. Pre­cisamos ir à contramão dessa “indústria cultural”. Nossas paróquias podem e devem incentivar artistas locais e outros que apesar de não estarem em uma grande emissora de TV, tem composições que levarão a muitas conversões e nos ajudarão nas celebra­ções litúrgicas e em outros momentos de fraternidade e oração.

 

Então, vamos caminhar para o futu­ro. O que chamamos no Concílio Vatica­no II de “aggiornamento”, atualização, ou ainda em linguagem de informática, va­mos apertar o “F5”. Eis aqui algumas su­gestões de ferramentas para aprimorar o serviço a Deus:

 

USO DE TABLETS E PROGRAMAS QUE ES­CREVEM PARTITURAS COM CIFRAS:

 

Pode-se scannear as músicas e com­partilhar com todo o grupo. Outra dica é usar programas que escrevem as partitu­ras por você. Basta cantar próximo ao microfone do computador ou ainda fazer o upload do arquivo em mp3. Tablets são leves e podem armazenar uma quantida­de grande de arquivos e buscá-los com rapidez.

 

APLICATIVOS DE MÚSICA (LOUVEMOS O SENHOR):

 

A novidade que surgiu este ano foi o aplicativo do livro cifrado “Louvemos o Senhor”.  A Rede Século 21, vende o tablet que já vem com o aplicativo, mas se você preferir também pode baixar no Google play, que é a loja de aplicativos para smartphones android. São mais de 1000 (mil músicas) com ci­fras e um índice temático. Podem-se criar listas, montar repertórios para missa, grupos de oração e outros momentos. Se você souber apenas um trecho da músi­ca, com uma busca rápida consegue en­contrá-la.

 

REDES SOCIAIS DE MÚSICA GRÁTIS (feesom.com)

 

O site www.feesom.com tem sido uma das plataformas mais revolucionárias dos últimos tempos. Neste site que tenho a alegria de ser um dos sócio-diretores, você ouve todas as músicas gratuitamen­te. São mais de 2000 mil bandas cadas­tradas e outros milhares de ouvintes que criam seu perfil e interagem de modo si­milar ao facebook. Inclusive a conta pode ficar linkada a esta rede social. Há muitos cursos, artigos de formação e o que é melhor: diversos estilos. Músicas litúrgi­cas, para grupos de oração, mensagem, axé, rock, pop, e também internacionais. Nova evangelização com fé e som! Por uma real “conversão musical”! Sem­pre, se reformando! Experimente em sua paróquia!

Faça um comentário